Começar

Conservação da
biodiversidade

Conservação da biodiversidade

Pesquisa científica e inovação socioambiental. Ações de impacto com participação comunitária e educação na Mata Atlântica, Amazônia, Pantanal e Cerrado.

NOSSOS PROJETOS
Conhecimento
transformador

Conhecimento transformador

Na ESCAS – Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade, compartilhamos conhecimento e formamos líderes para a conservação e desenvolvimento sustentável.

VER CURSOS
Doe agora

Doe agora

Você faz toda a diferença para a proteção da biodiversidade brasileira. Seja um doador do IPÊ e faça parte da transformação da realidade socioambiental.

DOE AGORA

Notícias

Pesquisadora do IPÊ recebe prêmio da National Geographic Society, um dos mais importantes do mundo em conservação ambiental

II Seminário de Construção Coletiva de Aprendizados e Conhecimentos acontece em Brasília

De 4 a 6 de junho, o IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) realizam o II Seminário de Construção Coletiva de Aprendizados e...

Mestre pela ESCAS mostra como natureza influencia bem estar de pessoas hospitalizadas

Nascentes Verdes Rios Vivos: Restaurando a Paisagem para Conservar a Água

Ações integradas de reflorestamento, pesquisa, envolvimento comunitário e educação ambiental que colaboram para ampliar o conhecimento sobre a importância da água e da biodiversidade da Mata Atlântica pelos moradores e tomadores de decisão da região.

Nascentes Verdes, Rios Vivos

A região de Nazaré Paulista é prioritária para ações de conservação ambiental e de restauração de Mata Atlântica por se localizar na cabeceira da Bacia Hidrográfica do rio Piracicaba e por abrigar o reservatório de água do rio Atibainha que, junto aos reservatórios Cachoeira, Jaguari-Jacareí e Paiva Castro, que compõem o Sistema Cantareira. Desse sistema depende o abastecimento de água de cerca de 14 milhões de pessoas (5 milhões no interior e 9 milhões na Região Metropolitana de São Paulo). Diversos remanescentes de Mata Atlântica dessa região, além de abrigarem espécies da fauna e da flora em níveis variados de ameaça de extinção, proporcionam um dos serviços ecossistêmicos mais importantes para o homem: a proteção dos mananciais.

O projeto "Nascentes Verdes, Rios Vivos" integra ações de reflorestamento, pesquisa, envolvimento comunitário e educação ambiental para o reconhecimento da importância da água e da biodiversidade da Mata Atlântica pelos moradores e tomadores de decisão da região. As ações compreendem o diagnóstico de áreas prioritárias para a restauração ecológica; a facilitação na recuperação de áreas ciliares com plantio de árvores nativas; a realização de fóruns participativos e atividades de educação ambiental; a veiculação de informações entre pesquisadores e tomadores de decisão e a divulgação das ações do projeto às comunidades do município e região.

Reflorestamento, envolvimento comunitário e educação ambiental para o reconhecimento da importância da água e da biodiversidade da Mata Atlântica pelos moradores e tomadores de decisão da região.

O projeto "Nascentes Verdes - Rios Vivos" destaca-se entre outras iniciativas existentes de recuperação de matas ciliares, por desenvolver conjuntamente atividades de restauração florestal, conservação da biodiversidade e educação ambiental, com foco na conservação dos recursos hídricos.

O projeto é responsável pelo plantio e manutenção de 150 hectares de florestas na região de influência da represa Atibainha, uma das que abastecem o Sistema Cantareira. Além disso, ao longo dos anos de trabalho, o projeto realizou um levantamento sobre os mamíferos que habitam as matas fragmentadas da região, e que precisam do habitat conservado.

Para as atividades, o IPÊ implantou um viveiro-escola de árvores nativas, com capacidade de produção de 40.000 mudas por ano. O viveiro atende às demandas de reflorestamento e das atividades de educação ambiental, como oficinas de produção de mudas e plantios educativos. Dentre as demais ações de educação ambiental destacam-se palestras temáticas ministradas por especialistas em fauna, caminhadas interpretativas com disseminação de conhecimentos etnobotânicos, oficinas para capacitação de educadores em Educação Ambiental, distribuição e plantio de árvores nativas direcionadas a estudantes, professores, proprietários e produtores rurais e comunidade local.

As atividades do projeto seguem o Modelo IPÊ de Conservação, baseado na integração de pesquisa de espécies ameaçadas, educação ambiental, conservação de habitat, envolvimento comunitário, desenvolvimento sustentável, intervenções sobre a paisagem e contribuições para políticas públicas. Com esse trabalho espera-se promover a conservação dos recursos hídricos e da biodiversidade local, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida dos moradores da região.

  • Andrea Pupo Bartazini
    Pedagoga
    Coordenadora de Educação Ambiental
    andrea_pupo@ipe.org.br
  • Mauro Rufato Jr.
    Engenheiro Agrônomo
  • Pedro Tadeu Gonçalves da Silva
    Viveirista 
  • FIES – Fundo Itaú de Excelência Social 
  • SABESP
  • Claudia Rimini 
  • EcoSwim - Escola Politécnica da USP
  • Vacine o Planeta
  • Diretoria de Ensino Regional de Bragança Paulista
  • E. E. Professor Fabio Hacl Pínola 
  • E. E. Professora Clélia de Barros Leite da Silva 
  • E. E. Francisco Derosa
  • E. E. Bairro Divininho 
  • E. E. Bairro do Mascate

 

  • FNMA - Fundo Nacional do Meio Ambiente / Ministério do Meio Ambiente / Governo Federal 
  • Grupo Bimbo 
  • Danone 
  • Vivo 
  • Rede Smart 
  • Correios (2011/2012)
  • Prefeitura Municipal de Nazaré Paulista
  • CATI - Casa da Agricultura de Nazaré Paulista
  • Departamento de Educação de Nazaré Paulista
  • CENAP - Centro Nacional de Pesquisas para Conservação dos Predadores Naturais
  • Marina Vale dos Manacás