Aluna conta como MBA de Negócios Socioambientais proporcionou crescimento profissional dentro de empresa

Em 2018, 15 alunos participaram do MBA Gestão de Negócios Socioambientais. Realizado pela ESCAS, na sua sede em Nazaré Paulista (SP), o curso tem apoio pedagógico da ARTEMISIA Negócios Sociais e CEATS-USP (Centro de Empreendedorismo e Administração em Terceiro Setor) e atrai profissionais variados, que buscam desenvolver em suas áreas de atuação a sustentabilidade socioambiental a partir de negócios inclusivos e de valor compartilhado.

A proposta do curso é dar oportunidade aos alunos de refletirem sobre o tema e também vivenciá-lo na prática. Desta forma proporciona todos os anos uma visita aos projetos de sociobiodiversidade do IPÊ, realizados no baixo Rio Negro, Amazonas. Ali, visitam comunidades ribeirinhas que já foram beneficiadas por projetos do Instituto e que atuam com cadeias produtivas com produtos da biodiversidade amazônica, com artesanato e turismo de base comunitária.

Ana Luiza Reis Rosa da Silva (foto) foi uma das alunas do MBA em 2018. Bióloga por formação, viu no curso uma oportunidade de se aperfeiçoar em temas que a ajudaram no cotidiano do seu trabalho na área de sustentabilidade da Suzano Papel e Celulose e até mesmo no seu crescimento profissional dentro da empresa. "Através do que eu aprendi no IPÊ consegui concorrer a um processo seletivo interno para potencializar a carreira. E o conhecimento que adquiri no MBA foi um grande diferencial nesse processo", afirma.

Os conteúdos também foram fundamentais para que Ana Luiza tocasse um outro projeto com 31 apicultores no Vale do Paraíba, contribuindo para o aperfeiçoamento da cooperativa da qual eles fazem parte a Coapvale (Cooperativa Agropecuária do Vale do Paraíba). Ali, na cooperativa localizada em Taubaté (SP), ela viu a oportunidade de aplicar o conhecimento das aulas. "Os apicultores passam por um problema econômico na cooperativa. Por meio do curso, usei varias disciplinas para ajudar a estruturar um plano de gestão e desenvolvimento socioeconômico para a cooperativa, com recomendações de governança, marketing, comunicação, estrutura de gestão econômica e gestão de pessoas. Darei esta devolutiva e pretendo, caso eles aceitem, implementar este plano", conta ela.

O desenvolvimento real de trabalhos de conclusão de curso como esse faz parte do conceito da ESCAS de aplicabilidade da criação intelectual. A Escola estimula que os estudos devam ser aplicados em favor da sociedade, de forma prática. Com os alunos, o grande interesse da escola é dar subsídios para uma evolução profissional, mas também uma mudança pessoal, que os façam transformar realidades por meio de suas ações. No caso de Ana Luiza, que atua em uma frente que impacta cerca de 245 comunidades e 62 mil pessoas no Vale do Paraíba, esse conhecimento transformou o modo como ela encarava sustentabilidade. "Trabalho na área de sustentabilidade, gestão e monitoramento dos projetos nas linhas de educação, cultura, esporte, agricultura familiar. Para mim esse MBA foi uma experiência profunda. Não tinha ainda passado por um período de formação com essa ênfase que o MBA traz, um universo completamente diferente, de reflexão e ação. Alguns colegas meus já tinham feito o curso e eu vi na prática o desenvolvimento dessas pessoas. Com certeza isso já reflete hoje em mim também", diz.