Havaianas e IPÊ comemoram 15 anos de parceria com evento em Lisboa

 

Lizandra Mayra Gasparro

Lisboa foi a cidade escolhida para acolher as comemorações de uma parceria de sucesso entre Havaianas e o IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas. No dia 16 de maio, representantes das duas marcas reuniram-se à beira do rio Tejo, no bar Ferroviário, para celebrarem os 15 anos em que caminham lado a lado na missão de conservar a biodiversidade brasileira.

“É um presente para Havaianas estar junto com IPÊ esse tempo todo, a instituição defende valores muito próximos dos nossos. Há 57 anos as Havaianas calçam os pés do mundo todo, e acreditamos que essa parceria é um ótimo instrumento para conscientizar a sociedade sobre as questões ambientais”, diz Guillaume Prou, Presidente de Havaianas da Região EMEA - (Europa, Médio Oriente e África).

O evento chamou atenção para a conservação da biodiversidade por meio da arte. Nesse sentido, o artista plástico brasileiro, Arlin Graff, que assina a coleção 2018/2019 das Havaianas-IPE, foi convidado para grafitar um muro em Lisboa, com uma das espécies da nova coleção. Quem passou pelo terminal de ônibus do bairro Algés, surpreendeu-se com a arara-vermelha que nascia em um muro de cerca de 30 metros de altura.

O jovem artista, natural de Tatuí (SP), hoje mora em Nova Iorque e estampa a sua arte em muros por todo o mundo, com um estilo marcado por cores vivas e formas geométricas. Foi na marcenaria de seu pai, no interior de São Paulo, que Arlin deu seus primeiros passos como artista, criando formas e objetos com as sobras de madeira. Estas criações influenciaram sua técnica abstrata e também os seus desenhos de animais.

“Uma das minhas grandes inspirações é a natureza, por isso quando me convidaram para fazer o mural, eu não pensei duas vezes. Poder fazer esse trabalho me trouxe a sensação de contribuir com algo que eu sei que faz toda a diferença!”, comentou Arlin Graff, ao lado, na foto com a presidente do IPÊ, Suzana Padua.

O processo de construção do grafite durou seis dias, e ao longo desse período muitos curiosos se aproximavam do artista e perguntavam sobre a arte e o porquê daquela arara-vermelha estar ali. “Essa é a parte mais gratificante de se trabalhar na rua. Despertar a curiosidade das pessoas abre uma porta para falarmos sobre questões importantes como a urgência de conservarmos a biodiversidade”, comenta Arlin.

Coleção pela biodiversidade

Além da Arara-Vermelha (Ara chloropterus), o artista gráfico retratou na nova coleção outras duas espécies da fauna brasileira que correm risco de extinção: a Onça-Pintada (Panthera onca) e o Mico-Leão Preto (Leontopithecus crysopygus).

A 15ª coleção lançada é fruto da parceria de Marketing Relacionado a Causas, entre a Havainas e o Instituto. Esta união contribui, desde 2004, na divulgação da riqueza da biodiversidade brasileira aos consumidores das sandálias.

“É uma honra muito grande ser parceira de uma empresa genuinamente brasileira, assim como o IPÊ. Nesses 15 anos de união, Havaianas nos confiou uma grande responsabilidade e soubemos responder à altura. Graças à parceria, conseguimos crescer e ampliar nossas ações de conservação da biodiversidade pelo Brasil todo”, diz Suzana Padua, Presidente do IPÊ.

As sandálias Havaianas-IPÊ apoiam diretamente na conservação da fauna e flora do País. Mais do que moda, é uma atitude em relação ao futuro do planeta: 7% do valor da venda são doados para a organização continuar desenvolvendo ações de pesquisas, educação, reflorestamento, negócios sustentáveis e atividades que envolvam políticas públicas.

“Eu acredito muito nas parceiras entre as empresas privadas e o terceiro setor, esta é uma excelente forma de comunicar uma causa aliada com um produto de qualidade”, comenta Guillaume Prou.

A escolha por Lisboa

Segundo Guillaume Prou, os modelos das Havaianas-IPÊ tem uma forte adesão no mercado Europeu, principalmente em Portugal. O consumidor se interessa pelas estampas de animais com cores vibrantes. Pensando nisso, a marca aproveitou a grande aceitação do mercado, para comemorar os 15 anos de parceria com o Instituto na capital portuguesa.

O lançamento da coleção 2018/2019 marca também o início do verão europeu, um bom momento para comunicar que por trás da qualidade e beleza das sandálias, há uma causa importante sendo defendida.

“Nosso propósito esse ano, é aproveitar a grande aceitação do mercado Europeu para comunicar que as Havaianas IPÊ é muito mais do que um produto bonito e de qualidade, queremos contar a história dessa parceria e dos projetos que envolvem a conservação da biodiversidade brasileira”, diz Prou.

Resultados

Em 14 anos, já foram vendidos mais de 14 milhões de pares, que geraram cerca de 8 milhões de reais, destinados à causa. Só em 2018, foram vendidas 692.580 sandálias e R$ 665.157,41 reais.

A parceria é uma parcela importante dos recursos para garantir a evolução e crescimento sustentado da instituição. Ela complementa as ações realizadas por meio de vários projetos em vários biomas do Brasil. Desde 2004, o IPÊ já alcançou alguns números gerais importantes como mais de 3 milhões de árvores nativas plantadas na Mata Atlântica, formando o maior corredor florestal plantado do Brasil. Ações como essas contribuem para a conservação de espécies de animais ameaçados de extinção, bem como na manutenção da água em locais estratégicos, como o Sistema Cantareira, um dos maiores complexos hídricos do Brasil.

O produto pode ser encontrado nas lojas físicas e site de Havaianas, bem como na Loja do IPÊ.

Os trabalhos de Arlin Graff podem ser vistos em: www.arlingraff.com

Fotos: Pedro Mota