Curso capacitou novos monitores para o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque

A melhoria da gestão das Unidades de Conservação depende, em grande parte, do constante aperfeiçoamento de seus gestores, parceiros, comunitários e voluntários, em um trabalho contínuo de aprendizado. Em junho, foi realizado no Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, o IV Curso de Capacitação de Monitores da Biodiversidade Integrado dos Parques Nacionais Montanhas do Tumucumaque e Cabo Orange, Reserva Extrativista do Cajari, Estações Ecológicas do Jari e Maracá-jipioca.

Trata-se do Módulo Básico do Componente Florestal do Programa Nacional de Monitoramento da Biodiversidade, que foi aplicado a 17 novos monitores que atuarão nas cinco Unidades de Conservação (UCs). Durante os quatro dias de curso, os comunitários das UCs foram capacitados para coleta de dados que contemplam os protocolos de Mamíferos de Médio e Grande Porte e Aves Cinegéticas, Borboletas Frugívoras e Plantas Lenhosas. O encontro também serviu para que eles pudessem ter noções de Segurança e Ações de Emergência em Campo.

A instrução sobre borboletas frugívoras ficou a cargo do consultor independente Marcio Uehara Prado. O analista ambiental do ICMBio Christoph Jaster abordou questões relativas às Plantas Lenhosas. Lais Fernandes, consultora local do IPÊ, realizou instrução sobre o protocolo de masto/aves. Aniel Cardoso, do Instituto Guarda Florestal do Amapá (IGFAP), levou aos participantes noções de segurança e ações de emergência em Campo.

A iniciativa é uma atividade do projeto de “Monitoramento Participativo da Biodiversidade em Unidades de Conservação da Amazônia”, desenvolvido pelo IPÊ em parceria com o ICMBio, com apoio de Gordon and Betty Moore Foundation e USAID.

Foto: Erico Kauano