Solução para crise climática deve combinar experiências de diversos campos de estudo, segundo Carlos Klink

klinkCom o tema Clima e Agricultura, Carlos Klink, deu início à programação do curso Adequação Ambiental e Produtiva em Propriedades Rurais, voltado para profissionais com atuação no sul da Bahia. Klink foi secretário de Mudanças Climáticas do governo federal entre 2012 e 2015 e secretário executivo do Ministério do Meio Ambiente de janeiro a maio de 2016.

A iniciativa é uma parceria entre a ESCAS, IPÊ,  Programa ELTI e a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).

Klink trouxe à tona uma visão global sobre as novas tendências relacionadas ao tema da palestra: Clima e Agricultura. “Agricultura não pode ser sinônimo de produzir quilos ou toneladas de alimentos, ela precisa entregar também serviços ecossistêmicos e equidade, por exemplo. Produzir alimento para segurança alimentar ou ainda em grande escala precisa ser parte da solução. O mundo produz muito alimento, mas muitas pessoas não têm acesso. A inflação é um problema e a pandemia reforçou desigualdades.  24% dos gases do efeito estufa têm relação direta ou com o desmatamento ou com agricultura, como o dióxido de carbono e o metano. É preciso ir além da ciência, ter capacidade analítica e científica voltado para a tomada de decisão”. 

Nesse contexto, o estabelecimento de pontes, de troca de conhecimentos de diferentes esferas segue como tendência. “É preciso construir junto com diferentes atores as possíveis soluções. Quem está no campo tem muita informação, eles também querem fazer parte dessa solução, é preciso construir junto. A atuação em rede é estratégica”.