Curso leva protocolos de biossegurança para comunidades que trabalham com turismo na Amazônia
Curso leva protocolos de biossegurança para comunidades que trabalham com turismo na Amazônia

CURSO PROTOCOLO COVID AMAZONIAUm dos levantamentos do projeto Navegando Educação Empreendedora na Amazônia indicou o turismo como uma das atividades mais utilizadas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Puranga Conquista, no Amazonas. De acordo com uma pesquisa do IPÊ, 73 famílias de 14 comunidades da RDS afirmam trabalhar com turismo e 37 famílias têm sua renda proveniente da atividade.

Entretanto, com a pandemia da COVID-19, o turismo comunitário na RDS, localizada no baixo Rio Negro, foi bastante prejudicado, já que parques e reservas fecharam por conta da segurança sanitária. O estado do Amazonas, epicentro da pandemia no Brasil, registrou uma queda de 66% no faturamento do setor, que refletiu diretamente na atividade turística na zona rural do estado, comprometendo essa atividade socioeconômica e indiretamente em outras cadeias associadas ao turismo.

Com o avanço da imunização e o retorno parcial das atividades, o IPÊ levou às comunidades o Curso de Protocolo de Biossegurança para Empreendimentos e Atrativos Turísticos.

O curso orientou profissionais de empreendimentos e negócios comunitários sobre boas práticas sanitárias para enfrentamento da COVID-19 por meio de Protocolo de Biossegurança, contribuindo para o monitoramento dos impactos do Covid nos empreendimentos e atividades turísticas, e para o aumento da qualidade da experiência dos visitantes.

O curso aconteceu em três polos da RDS Puranga Conquista apoiado por uma cartilha sobre os cuidados a serem adotados nos empreendimentos comunitários inspirados nos protocolos de biossegurança já elaborados na região. Ao todo, 68 pessoas participaram da ação, que teve parceria do LinkedIn, apoio do GlobalGiving e LIRA/IPÊ (BNDES/Gordon and Betty Moore Foundation).