Em 22 de maio é celebrado o dia Internacional da Biodiversidade. Você sabe o que é biodiversidade? 
Em 22 de maio é celebrado o dia Internacional da Biodiversidade. Você sabe o que é biodiversidade? 

Em termos gerais, biodiversidade significa a variedade de vida existente no planeta. É a riqueza e diversidade de espécies do mundo natural. Isso também pode ser traduzido como a variabilidade genética, que faz do mundo um lugar tão rico e diverso. Dentre essa riqueza toda, estão seres microscópicos, insetos, plantas, animais... inclusive os seres humanos! Sim, por mais que estejamos tão desconectados da natureza, nós, humanos, também somos parte da biodiversidade do planeta. 

Materia2 Nurseries gerao de renda credito Laurie Hedges

E por que ela é tão importante a ponto de ter um dia pra celebrar? A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para despertar conscientização a respeito da importância da diversidade biológica e sua conservação em todos os ecossistemas. Isso porque sem essa diversidade, tudo o que conhecemos e utilizamos para que a nossa vida seja viável fica muito difícil de existir.

Graças à biodiversidade que é possível ter agricultura, medicamentos, roupas, materiais diversos. Quer exemplos? São árvores que nos fornecem fibras vegetais, madeira e papel. São animais e plantas que fornecem substâncias para a cura de diversas doenças. Além disso, a variedade de microorganismos no solo e sua riqueza, possibilita alimentos em quantidade e qualidade. Por mais que existam tecnologias, materiais sintéticos e meios não naturais de produção, é impossível viver e ter qualidade de vida sem essa biodiversidade natural.

Entretanto... (sim, tem sempre um porém!)

As ações do homem estão afetando a biodiversidade em uma velocidade impressionante. Pesquisas já confirmaram que estamos caminhando em um ritmo mil vezes maior de destruição e de extinção de espécies dessa biodiversidade, do que se ela acontecesse de forma natural. Perdemos seres vivos que sequer foram pesquisados ou conhecidos pela ciência. E aqueles já conhecidos estão em constante risco. Quer um exemplo? No nordeste brasileiro, recentemente foi lançada a lista vermelha das espécies do Ceará e ali dois animais que são estudados pelo IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas estão extintos: a anta-brasileira e o tatu-canastra. A destruição florestal e perda de espaços de vida (habitat), o uso indiscriminado de agrotóxicos e a caça ilegal estão entre as causas do desaparecimento desses animais.

Tatu canastra

A extinção de uma espécie é algo muito impactante para a vida de um ecossistema – a anta, por exemplo, tem uma grande função na floresta porque ela é uma jardineira: repõe plantas e árvores no ambiente a partir dos frutos e sementes que come, digere e deposita no solo. Perder uma anta é perder um agente que mantém a floresta viva!

Aquidauana MS Pantanal INCAB IPE Credito da Foto Joao Marcos Rosa

 

Clima e biodiversidade: ecossistemas saudáveis e clima equilibrado são fundamentais para o bem-estar humano 

Apenas pelas questões mencionadas, perder biodiversidade já seria um problema grande, mas essa destruição também agrava um dos maiores desafios que enfrentamos hoje, a crise climática. Você já sabe que com aquecimento do planeta, eventos extremos têm ocorrido com muito maior frequência: períodos de secas e chuvas fora de época e mais prolongados; falta de água em vários lugares; falta de alimentos e de recursos diversos importantes para a sobrevivência de populações. Isso tem aprofundado as diferenças sociais e econômicas, o que piora a qualidade de vida dos seres humanos. Hoje vemos de forma cada vez mais frequente pessoas perdendo suas casas, precisando migrar para outros lugares; aumento no custo dos alimentos, medicamentos e energia; entre outros efeitos das mudanças climáticas.

Area em restauracao proxima a represa atibainha Credito Cibele Quirino Projeto Semeando Agua

Vamos olhar de forma prática para isso? No mercado ou na feira livre, a oferta de produtos da estação tem caído porque a produção de muitos alimentos tem sido afetada ou pela falta de chuvas ou pela grande intensidade dela. Quando o produto existe em baixa quantidade, o preço dele aumenta. A falta de água também tem afetado nosso bolso, deixando a energia mais cara por períodos mais longos durante o ano. Já notou?

Clima e biodiversidade caminham juntos e são interdependentes. As florestas e toda a sua teia de vida são responsáveis por manter o clima estável, gerando chuvas - que impactam as produções agrícolas e armazenando carbono, elemento que impacta no aumento do aquecimento global. A biodiversidade existente em ambientes florestais, savanas ou manguezais nos faz mais resilientes aos impactos das mudanças climáticas. 

Na Amazônia, cerca de 5 milhões de quilômetros quadrados fazem isso e tentam manter o equilíbrio natural que se reflete em várias regiões do Brasil.

quelonios

Outros biomas como Mata Atlântica, Pantanal e Cerrado também têm essas e outras funções que completam a dinâmica da vida, impactando o Brasil e o mundo.

Falando em clima e biodiversidade, é importante lembrar também que estamos vivendo ainda os efeitos sociais e econômicos de uma pandemia causada pelo desequilíbrio ambiental gerado pela degradação ambiental sem precedentes. Há pesquisas que dizem que doenças como a Covid-19 podem se tornar mais frequentes do que gostaríamos, porque ela é efeito da relação nada sustentável do homem com o ambiente natural. 

Um sistema em equilíbrio é bom para todo mundo. Mas como mudar esse cenário que parece tão instável? 

É importante primeiro perceber a interdependência entre biodiversidade, florestas e clima. Em segundo lugar, é necessário que estejamos atentos aos cuidados com as florestas e a biodiversidade, apoiando iniciativas que coloquem a conservação dos ambientes naturais como prioridade. Isso passa pelo apoio a marcas e empresas sócio/ambientalmente responsáveis, pela cobrança de governantes e órgãos públicos pela responsabilidade de zelar por esse bem comum, pelo consumo mais responsável e pelo apoio a causas que trabalham por essas mudanças.
 
Mico leao preto Pontal do Paranapanema by Gabriela Cabral Rezende WEB 1

Empresas, sociedade civil e governos atuando juntos, têm potencial de desenvolver mecanismos para alcançar as mudanças necessárias, gerando mais segurança às pessoas. Que mudanças são essas? De acordo com a ONU: conservar e restaurar ecossistemas, combater e reverter a degradação e empregar planejamento de paisagem para evitar, reduzir e mitigar mudanças no uso da terra; promover uma transição para a agricultura, pesca e sistemas alimentares sustentáveis; transformar em verdes as infraestruturas nas cidades e empregar soluções baseadas na natureza, reduzindo ou até eliminando o uso de combustíveis fósseis, mudando as matrizes energéticas.

Algumas mudanças estão acontecendo, mas em ritmo mais lento que o necessário. Aos cidadãos cabe atenção e acompanhamento para que possamos sempre que estiver ao nosso alcance, contribuir para essa transição urgente. 

Quer apoiar ações pela biodiversidade? Faça uma doação.