IPÊ é aprovado como instituição de ATER no Amazonas

O Conselho de Desenvolvimento Rural Sustentável do Amazonas (CEDRS/AM) aprovou, no dia 8 de abril, a habilitação do IPÊ no Sistema Informatizado de Assistência Técnica e Extensão Rural (Siater), por unanimidade. O cadastramento consolida o trabalho do instituto como referência no fortalecimento da agricultura familiar na região do Baixo Rio Negro (AM).

A aprovação no Conselho foi a etapa final do credenciamento, conforme o regulamento do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).  A secretária executiva do CEDRS/AM, Alíria Noronha, atestou em seu parecer analítico que o IPÊ tem competência clara para agir nas ações o Siater,  porque é formado por uma equipe multidisciplinar de profissionais e já atua na assistência técnica rural ano Amazonas há mais de cinco anos. “O instituto também atende todos os requisitos fixados pelo MDA,  tem sede em Manaus e equipamentos necessários para executar as atividades almejadas”, disse.

Para o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (IDAM), José Ramonilson Gomes, o credenciamento do IPÊ  representa um passo a frente rumo ao desenvolvimento da agricultura familiar no estado. Ele acredita que por meio das parcerias para cooperação técnica será possível saltar de 10 mil famílias assistidas para até 50 mil, em médio prazo. “Vamos todos crescer juntos”, observou.

Os membros do Conselho também observaram os frutos do trabalho do IPÊ no Amazonas durante a análise do credenciamento. A experiência na coleta e divulgação de

dados sobre as cadeias produtivas do Baixo Rio Negro tem contribuído para o avanço das políticas públicas na região, destacou o superintendente regional da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no Amazonas, Thomaz Silva. “Por meio de um estudo do IPÊ descobrimos que comunitários daquela área vendiam o milheiro do tucumã a R$ 10 ou R$ 20, quando nós tínhamos condições de comprar a R$ 1,20 a unidade, o que significou um ganho efetivo para estas comunidades”.

Marco Antônio Vaz de Lima, do IPÊ, agradeceu o voto de confiança do Conselho. “Foi com muita responsabilidade que solicitamos nosso credenciamento. Sabemos da importância dessa habilitação para a região e  até mesmo para o país”, disse.

Texto do Blog Eco-Polos