Últimas Notícias

"A mineração de chumbo em Iporanga, São Paulo, Brasil e suas consequências à saúde do ecossistema" foi o tema do produto final do Mestrado Profissional de Camila Nali. No trabalho, a aluna da ESCAS caracterizou a concentração de chumbo em Iporanga-SP como uma maneira de avaliar a saúde do ecossistema e verificar se há contaminação após 21 anos do encerramento das atividades mineradoras nesse município, que já foi um dos maiores produtores de chumbo do estado de São Paulo.
"A mineração é uma atividade que pode afetar a saúde de todo ecossistema, inclusive humana, e seus impactos podem perdurar por bastante tempo, mesmo após a finalização dessas atividades" diz a mestre.

Camila encerrou seu mestrado profissional há menos de um mês e, questionada sobre o sistema de imersão que o IPÊ propõe aos alunos para este curso, ela afirma: " O sistema de imersão me proporcionou, principalmente, um crescimento pessoal, o processo de conviver e dividir o espaço com os colegas, cada um com suas particularidades, ajudou a me tornar mais tolerante e paciente. Além disso, os momentos de convivência facilitam a troca de informações e estudos conjuntos."

Para saber mais sobre O Mestrado Profissional, acesse http://www.ipe.org.br/mestrado/
Inscrições abertas!

Ontem aconteceu na Casa de Cultura de Joanópolis o I Encontro Participativo do Projeto Semeando Água, que é patrocinado pela Petrobras. Durante o evento o IPÊ apresentou o projeto para a população do município.
Cerca de 80 pessoas marcaram presença, entre representantes de Secretarias e Prefeitura, professores e alunos do ensino médio da escola Coronel João Ernesto Figueiredo, representantes de outras iniciativas conservacionistas que atuam na cidade e proprietários rurais que se mostraram interessados, como o senhor Orlando Fernandes Silveira, que há oito anos desenvolve ações de conservação da água em sua propriedade. IMG 9255“Antes de eu converter minha propriedade para o Sistema Rotacionado, minha terra era muito judiada, havia muita erosão e o solo era empobrecido. Nesse tempo o meu gado de leite produzia em 30 hectares de pasto 120 litros de leite. Hoje com apenas 12 hectares consigo produzir 250 litros de leite, o que comprova a eficácia do sistema. Estou bastante feliz com o retorno e ainda consigo conservar o meio ambiente”, comenta o presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento de Joanópolis.

O evento apresentou, por meio da Educação Ambiental do IPÊ, os principais objetivos do projeto Semeando Água, e seus primeiros resultados obtidos na propriedade que recebeu as orientações e intervenções de conversão de uso de solo. Lá, cerca de cinco hectares de pasto convencional foi convertido para o pastoreio rotacionado Voisin, que consiste no piqueteamento da área, respeitando o período de descanso do solo e crescimento do pasto.

O Encontro Participativo contou também com a apresentação do Plano Municipal de Saneamento Básico e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos e a apresentação do Programa Produtor de Água, outra iniciativa conservacionista presente no município de Joanópolis, que esta sendo realizada pela TNC - The Nature Conservancy e consiste no estudo e avaliação da eficácia do PSA - Pagamentos por Serviços Ambientais.

“Iniciativas como essa que o IPÊ propôs é de extrema importância para o nosso município, vem para somar com outras iniciativas que já desenvolvemos. Ainda mais agora com a problemática da água, envolver os jovens na discussão é essencial, afinal são eles que colherão os frutos amanhã”, comenta o Secretário de Meio Ambiente, Adilson José da Silva.

Ações com essa do Encontro Participativo estão previstas nas atividades de Educação Ambiental do projeto, que planejará outros 11 eventos em municípios que o projeto atua.

Convite-Encontro-Participativo

Nesta quinta-feira, 27 de março, acontecerá na Casa de Cultura de Joanópolis o I Encontro Participativo do Projeto Semeando Água. Durante o evento o IPÊvai apresentar o projeto para a população do município.

Espera-se a participação de cerca de 100 pessoas, entre representantes de Secretarias e Prefeitura, professores e alunos da rede pública, proprietários rurais e representantes do Comitê de Bacias do PCJ.

O evento contará também com a apresentação do Plano Municipal de Saneamento Básico e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. A iniciativa está prevista nas ações de Educação Ambiental do projeto, que planejará outros 11 eventos em municípios que o projeto atua.

Cristiana Saddy Martins, coordenadora do Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável da ESCAS esclarece a principal diferença entre os mestrados acadêmico e profissional.

"Existe uma diferença teórica, em conformidade com as diretrizes dos órgãos reguladores onde a explicação desta diferença se baseia, principalmente, no fato de que o mestre profissional não, necessariamente, será um pesquisador, como no mestrado acadêmico. O mestre profissional terá contato com a pesquisa no decorrer do curso e em seu dia-a-dia no mercado de trabalho também, porém, não será cobrado pela geração de dados.

Na prática, nós temos dois diferentes perfis de alunos em nosso curso: existe aquele que poderia fazer um mestrado acadêmico, pois é interessado na produção de pesquisas, e até pode trabalhar na geração de dados, mas ele vem para esse mestrado profissional porque vai lhe trazer uma visão mais ampliada ou porque houve alguma deficiência em sua graduação no que se refere às saídas de campo. Desta forma, é muito comum a procura, por este aluno, pelas atividades práticas; e também temos o perfil do profissional que vem se atualizar, vem 'beber da fonte' de pesquisa para aplicar em sua área atuante no mercado de trabalho."

A ESCAS está com as inscrições abertas para o mestrado profissional em Nazaré Paulista-SP até 20/06.
Venha estudar em uma das melhores escolas de sustentabilidade do Brasil.
Mais informações: http://www.ipe.org.br/mestrado/escas/