Pesquisadora do mico-leão-preto é finalista no Whitley Awards, o Oscar da Conservação

 

A pesquisadora do IPÊ, Gabriela Cabral Rezende, coordenadora do Programa de Conservação do Mico-Leão-Preto está entre os 15 finalistas do Whitley Awards, prêmio considerado o Oscar da conservação mundial.

A cada ano, o Whitley Awards reconhece o trabalho de seis conservacionistas com projetos na Africa, Ásia e América Latina. Para este ano, 112 pesquisadores concorreram. A lista dos seis contemplados sairá em Abril.

Gabriela concorre pelo seu trabalho de conservação com o mico-leão-preto, espécie símbolo do estado de São Paulo. Há nove anos, ela dá continuidade ao projeto que teve início há 35 anos, com o primatólogo Claudio Padua, no Pontal do Paranapanema. O projeto cresceu e evoluiu, utilizando estratégias de proteção do mico que já surtiram resultados como o corredor reflorestado que conecta as Unidades de Conservação da região, garantindo mais espaço para circulação da espécie, além de ações de educação ambiental e de geração de renda sustentável, por exemplo, com a agroecologia e os viveiros comunitários, que fortalecem o relacionamento da população com a fauna local.

Atualmente, a pesquisadora está engajada nos estudos para manejo da espécie e desenvolvendo experimentos inovadores que possam contribuir com o levantamento de dados mais apurados sobre os micos, como a instalação de caixas dormitório em áreas de novas florestas onde ainda não existem ocos nas árvores para uso do mico. Sob a liderança de Gabriela, o projeto também trouxe os primeiros radio-colares com GPS a serem utilizados em animais de pequeno porte no Brasil.

“Eu e toda a equipe do IPÊ estamos muito felizes com a indicação. Esse é um trabalho integrado, onde a ação de todos é fundamental, não só da pesquisa em si, mas da educação ambiental, da restauração da paisagem, do envolvimento comunitário. É essa integração que faz um trabalho de conservação acontecer. A pesquisa científica do mico-leão-preto pode ganhar ainda mais impulso caso sejamos ganhadores, então significa muito para nós estarmos nessa final”, comenta ela.

Saiba mais sobre o programa do Mico-Leão-Preto: https://www.ipe.org.br/ra2018/localidade.html